quarta-feira, novembro 16, 2005


 Posted by Picasa

segunda-feira, outubro 24, 2005

Voto de confiança


Ricardo Mendes é o sétimo vereador eleito pela coligação PSD/CDS, reforçando a presença do nosso partido no executivo.Agradecemos a confiança que os Famalicenses depositaram nos nossos candidatos, estando certos de que na Câmara Municipal, na Assembleia Municipal e nas Assembleias de Freguesia cumpriremos com orgulho e responsabilidade os mandatos que nos foram confiados. Em nome do CDS/Partido Popular desejo um bom trabalho a todos aqueles que em breve irão tomar posse nos órgãos para os quais foram eleitos.

segunda-feira, setembro 12, 2005

Mais Acção, Mais Famalicão - Videoclip

Para obter o videoclip "Mais Acção, Mais Famalicão", clique aqui (WMV, 6 min. 44 seg, 23 MB)

sexta-feira, julho 08, 2005

Discurso apresentação dos candidatos a Presidentes de Junta

É com honra e orgulho que sou aqui hoje a voz de uma equipa, uma equipa com vontade de trabalhar por Famalicão, uma equipa de gente capaz e empreendedora, conhecedora das nossas gentes e dos seus anseios, uma equipa que quer ganhar.
Sabemos que qualquer projecto se constrói a partir das suas pedras basilares, e nunca é demais referir que o presidente de Junta é, e deverá continuar a ser, o pilar do municipalismo, a base estruturante de qualquer projecto autárquico vencedor.
A proximidade com as populações será, porventura, o factor decisivo para o nobre propósito de as servir condignamente, e orgulhosamente afirmo que não a tememos, desejamo-la, e tudo faremos para que, no honroso acto de servir a causa pública, tenhamos connosco aqueles a quem servimos, os Famalicenses.
Somos contemporâneos de uma era decisiva da história de Vila Nova de Famalicão, a História o confirmará, nós sabemo-lo. Saímos a custo de um longo demais período de marasmo e imobilismo, 19 longos anos de indecisão, comodismo e arrogância, o socialismo para todos trouxe muito pouco a muitos menos. Perdeu-se muito, neste longo e triste período. Portugal, acabado de aderir ao sonho europeu, via atendidas as suas necessidades estruturais, todo o País se mobilizou para se modernizar, os recursos que a Europa nos garantiu eram utilizados para crescermos, em todos os concelhos vizinhos se construíram variantes ao transito citadino, construíram-se redes eficazes de distribuição de água e saneamento público.
Em Famalicão, não. Nunca houve a preocupação de aproveitar seriamente o investimento nacional e europeu para modernizar o concelho, pagou por isto a Cidade, mas acima de tudo pagaram por isto as Freguesias. Cumpridos quase quatro anos de um mandato autárquico com o novo fôlego de quem sabia que muito tinha que ser feito, o Arq. Armindo Costa, a sua equipa de Vereadores e os corajosos Presidentes de Junta da Coligação PPD/PSD e CDS/PP, podemos dizer que se fez mais de estruturante para o Concelho em quatro anos, do que se fez em dezanove anos de gestão socialista.
Fez-se obra em TODAS as freguesias, construíram-se Escolas e Jardins-de-Infância, pavimentaram-se Estradas e Caminhos, duplicaram-se as verbas para as Freguesias, ampliaram-se as redes de Água e Saneamento Básico, construíram-se habitações sociais, renovou-se o espaço urbano, dinamizou-se a actividade cultural, foi criada a Polícia Municipal, acima de tudo, foram, finalmente, ouvidos os Famalicenses.
Em quatro anos, foi obra, mas os Famalicenses não nos perdoariam se não disséssemos
“Queremos mais, Famalicão não pode parar”
E dizemo-lo, convictos que, com esta equipa é possível fazer cumprir Famalicão.
Pretendemos dinamizar a participação de todos neste projecto, e, nesse sentido, pugnaremos por uma maior intervenção cívica dos Famalicenses, porque eles são o que verdadeiramente importa, eles são a razão do nosso empenho, Vila Nova de Famalicão é a nossa causa.

segunda-feira, março 14, 2005

Escolhas...

Uma sondagem recente publicada no jornal “O Povo Famalicense” atribui a vitória nas próximas Autárquicas à coligação PSD\CDS liderada pelo Arq. Armindo Costa com 41.5% dos votos.

Tendo o País bem recentemente contribuído para uma maioria absoluta ao PS nas Legislativas e sendo notória uma conjuntura nacional desfavorável às forças políticas de centro-direita, penso que o cenário para o qual esta sondagem nos releva poderá ser um bom ponto de partida para uma nova maioria PSD\CDS na Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão.

O facto de Agostinho Fernandes ser a única personagem capaz de por em causa uma maioria da coligação não deixa de ser interessante, ou seja, o candidato mais bem posicionado do PS para as Autárquicas é aquele que por ventura mais prejudicou o Concelho durante quase vinte anos. Sendo este visto não com bons olhos por grande parte da família socialista Famalicense, subentende-se que não será candidato sem gerar discórdias e descontentamentos, o que poderá dividir mais ainda o PS Famalicão que diga-se, é neste momento gerido por uma comissão nomeada pela secretaria-geral do partido, que recusa, a desfavor dos militantes, eleições internas.

Pelas provas dadas de união, trabalho, seriedade e competência da coligação PSD\CDS que presidiu ao executivo ao longo dos últimos três anos, esperámos não menos do que o reconhecimento das gentes do Concelho numa aposta clara no desenvolvimento sustentado e na continuidade de políticas que respondam aos anseios dos Famalicenses e que dignifiquem o nome de Vila Nova de Famalicão, esta nossa terra com 800 anos de história.

sexta-feira, dezembro 10, 2004


Paulo Portas Posted by Hello

Nuno Melo Posted by Hello

Paulo Portas e Nuno Melo Posted by Hello

Da esquerda para a direita: Miguel Moreira da Silva, Durval Tiago Ferreira, João Almeida, Paulo Portas, Nuno Melo, Ricardo Mendes, Álvaro Castelo Branco, João Oliveira. No púlpito, o nosso mestre de cerimónias, Oliveira Geão. Posted by Hello

Homenagem aos Autarcas do Distrito de Braga em Vila Nova de Famalicão


No dia 7 de Dezembro de 2004, teve lugar no restaurante Eugenio's, em Vila Nova de Famalicão, o Jantar de Homenagem aos Autarcas do Distrito de Braga, que contou com a presença de Paulo Portas, Nuno Melo e outros ilustres dirigentes do CDS/PP, tendo aderido à iniciativa cerca de 1000 pessoas. Este jantar foi organizado pela Distrital de Braga do CDS/PP e pela Concelhia de Vila Nova de Famalicão do CDS/PP. A todos agradecemos a presença, convictos que muitos outros encontros desta magnitude se seguirão. Posted by Hello

quarta-feira, dezembro 08, 2004

O estado das coisas I

Decorridos quase três anos sobre o momento em que os Portugueses decidiram que Portugal não mais podia ficar parado e de costas voltadas para uma realidade político-económica que exige presença, rigor, iniciativa e, acima de tudo, honestidade, eis que abruptamente nos encontramos mais uma vez no turbilhão pré-eleitoral a que, vezes mais que o desejável e constitucionalmente previsto, nos sujeitam, menosprezando a estabilidade económica e social. Importa referir que, desta forma, foi dissolvida uma maioria parlamentar estável e sufragada por um país ansioso de mudança. Está à vista de todos o que, em pouco mais de meio mandato foi concretizado, no seio de uma maioria parlamentar que responsavelmente sustentou um Governo corajoso que instituiu, mais do que reformas necessárias, toda uma nova filosofia de planeamento do futuro, assente na Justiça Social, na universalidade das políticas e no racionalismo humanista mas responsável que procura preparar o País para um futuro exigente mas promissor, assente no que de melhor dos nossos 861 anos de história reside na nossa memória colectiva.


Urge reflectir no imediatismo com que a esquerda tende a ler a realidade e na rapidez com que da sua memória se desvanecem, convenientemente os erros, quer de actuação, quer de interpretação. A sua superioridade moral que advém do facto de assumir que podem sempre decidir pelo povo, mesmo contra a vontade do povo, tem-se traduzido em sábias lições por parte dos portugueses que, teimosamente, a Esquerda não sabe ou não quer aproveitar.


Vemos, concretamente, o Partido Socialista já com postura de partido vencedor antes das eleições, mas sem nenhuma ideia, sem nenhum vislumbre fundamentado de oposição na verdadeira acepção da palavra, coisa que devia ter feito nestes quase 3 anos e que nunca fez. Assombrado pelo desgoverno da era Guterrista, mas sem grandes pruridos em apagá-la da sua história para construir uma nova esquerda, um novo PS, este Partido Socialista vai deambulando, embalado pelas ondas de um mar agitado por aqueles a quem interessa que nada mude, que nada se discuta do país que temos e do que podemos fazer para o mudar.
Criam-se e inflamam-se pretensas ameaças à integridade da nossa Democracia, abusa-se da desonestidade intelectual para criar uma imagem de caos do nosso tecido político, económico e social, ignorando que tal caminho induz a acções precipitadas por parte daqueles que acham que decidem sempre bem pelo povo. Esses mesmos, que vêem o Povo nas manchetes inflamadas, nos sound-bytes bombásticos, e nas palavras de conselheiros, quando o Povo, afinal serenamente, os observa espantado com tão definitiva leitura do que lhe vai na mente.
Conhecemos os Portugueses, e vamos ao seu encontro, ao encontro dos seus anseios, sem medo, sem artifícios, com trabalho concreto, importante e responsável em prol de Portugal, interrompido, mas que orgulhosamente exibiremos como feito para continuar, para os Portugueses de um País que quer ser melhor, mais rico, mais saudável, mas conhecedor, mais justo e mais empreendedor.

Somos responsáveis também a nível autárquico, onde de forma pioneira, construímos em Vila Nova de Famalicão, um projecto de Coligação com o PSD feito para os Famalicenses, que merecem um concelho próspero equilibrado e com uma excelente qualidade de vida e cuja concretização foi interrompida por 20 anos de irresponsável governação socialista, que estruturalmente colocou Vila Nova de Famalicão atrás do seu devido lugar nos índices de desenvolvimento, acusando a falta gritante de condições básicas de Saneamento e Água canalizada, infra-estruturas rodoviárias modernas e um parque escolar ajustado aos requisitos do Século XXI. Por tudo isso e muito mais pugnámos e pugnaremos sempre, tendo-o provado no mandato, onde, orgulhosamente participamos na condução dos destinos dos Famalicenses, liderado serena mas eficientemente pelo Arquitecto Armindo Costa.